As crianças precisam de limites.


Como educar com disciplina nossos filhos.?



Uma disciplina eficaz na hora de aplicar limites aos nossos filhos é o mais importante. Se apresentamos uma boa regra, nosso filho estará disposto a cumpri-la porque o que eles querem é nos agradar.


Não estamos preparados para estabelecer limites. alta-nos habilidade para fazê-lo.
F alamos demais, exageramos na emoção, e em muitos casos, equivocamo-nos na nossa forma de expressar com clareza e demasiada autoridade. Quando necessitamos dizer aos nossos filhos que devem fazer algo e “agora” (recolher os brinquedos, ir para a cama, etc.), devemos ter em conta alguns conselhos básicos:


Devemos ter objetividade
É frequente ouvir de nós mesmos e de outros pais, expressões como “comporte-se bem”, “seja bom”, ou “não faça isso”. As expressões significam diferentes coisas para diferentes pessoas. Nossos filhos nos entenderão melhor se dermos nossas ordens de uma forma mais concreta. Um limite bem específico diz a uma criança exatamente o que deve ser feito. “Fale baixinho na biblioteca”; “Dê de comer ao cachorro agora”; “Segure na minha mão para atravessar a rua”. Esta é uma forma que pode aumentar substancialmente a relação de cumplicidade com seu filho.


Ofereça opções
Em muitos casos podemos dar aos nossos filhos uma oportunidade limitada de dizer como cumprir suas ordens. A liberdade de oportunidade faz com que uma criança sinta uma sensação de poder e controle, reduzindo as resistências. Por exemplo: “É hora do banho. Você quer tomar banho quente ou frio?”; “Está na hora de se vestir. Você escolhe sua roupa ou quer que eu escolha?”. Esta é uma forma mais fácil e rápida de dizer a uma criança exatamente o que fazer.



Sejam firmes
Em questões realmente importantes, quando existe uma resistência à obediência, necessitamos aplicar a disciplina com firmeza. Uma disciplina firme diz a uma criança que ela deve parar com tal comportamento e obedecer suas ordens imediatamente. Por exemplo: “Vá para o seu quarto agora”, ou “Pare! Os brinquedos não são para atirar”. Os limites firmes são melhor aplicados com uma voz segura, sem gritos, e um sério olhar no rosto. Os limites mais suaves supõem que a criança tem opção de obedecer ou não. Exemplos de limites leves: “Por que não leva seus brinquedos para fora daqui?”; “Você deve fazer as tarefas da escola agora”; " Venha pra casa agora, está bem?” e “Eu realmente gostaria que se limpasse”. Esses limites são apropriados para momentos quando se deseja que a criança aja num certo caminho. De qualquer modo, para essas poucas obrigações, “deve estar feito”, você será melhor cúmplice do seu filho se lhe aplica uma ordem firme. A firmeza está entre o suave e o autoritário.



Acentue o positivo
As meninas são mais receptivas em fazer o que lhes ordenam. Ordens como “não”, ou “pare” dizem a uma criança o que é inaceitável, mas não explica que comportamento realmente gostaria. Em geral, é melhor dizer a uma criança o que deve fazer (“Fale baixo”) antes do que não deve fazer (“Não grite”). Pais autoritários dão mais ordens “não”, enquanto os demais estão propensos a dar a ordem de “fazer”.


Mantenham-se à margem
Quando dizemos “quero que vá pra cama agora mesmo”, estamos criando uma luta de poder pessoal com nossos filhos. Uma boa estratégia é fazer constar a regra de uma forma impessoal. Por exemplo: “São 8 horas, hora de se deitar” e lhes ensine as horas. Neste caso, alguns conflitos e sentimentos estarão entre a criança e o relógio.


Explique o porquê
Quando uma pessoa entende o motivo de uma regra, como uma forma de prevenir situações perigosas para si mesmas e para outros, se sentirá mais animada a obedecê-la. Deste modo, quando se aplica um limite, deve-se explicar à criança o porque tem que obedecer. Entendendo a razão para a ordem, ajuda as crianças a desenvolverem valores internos de conduta ou comportamento – uma consciência.
Antes de dar uma longa explicação que pode distrair as crianças, manifeste a razão em poucas palavras. Por exemplo: “Não morda as pessoas. Isso vai machucá-las”; “Se você joga fora os brinquedos das outras crianças, elas se sentirão tristes porque elas ainda vão querer brincar com eles”.


Sugira uma alternativa
Sempre que aplicar um limite ao comportamento de uma criança, tente indicar uma alternativa aceitável. Por fazê-lo, soará menos negativo e seu filho se sentirá menos em desvantagem. Deste modo, empenhe-se em dizer: “Não sei se você gostaria do meu batom, mas isso é para os lábios e não para brincar. Aqui você tem um lápis e um papel em troca”. Outro exemplo seria dizer: “Não posso te dar um caramelo antes da janta, mas posso te dar um sorvete de chocolate depois”. Oferecendo-lhe alternativas, a estará ensinando que seus sentimentos e desejos são aceitáveis. Este é um caminho de expressão mais correto.


Seja seriamente consistente
Uma regra concreta de limite é evitar uma ordem repetitiva. Uma rotina flexível (dormir às 8 da noite, às 8 e meia na próxima, e às 9 na outra noite) é um convite à resistência e se torna impossível se cumprir. Rotinas e regras importantes na família deveriam ser efetivas dia após dia, ainda que esteja cansado ou indisposto. Se você dá ao seu filho a oportunidade de contornar as suas regras, eles seguramente tentarão resistir.


Desaprove a conduta, não a criança
É necessário que deixemos claro para nossos filhos que nossa desaprovação está relacionada ao seu comportamento e não diretamente a eles. Não os estamos rejeitando. Longe de dizer “Criança má” (desaprovação da criança). Deveríamos dizer: “Não morda” (desaprovação da conduta). Em lugar de dizer “realmente não posso te controlar quando você age dessa maneira”, deveríamos dizer: “Essas latas não são para jogar fora. Devem permanecer na prateleira do armário”.


Controle as emoções
Os especialistas dizem que quando os pais estão muito irritados, castigam mais severamente e são mais propensos a ser verbalmente e/ou físicamente abusivos com seus filhos. Existem fases que necessitamos agir com mais calma e contar até dez antes de agir. A disciplina é basicamente ensinar a criança como deve se comportar. Não se pode ensinar com eficiência se você é extremamente emocional. Diante de um mal comportamento, o melhor é respirar por um minuto e depois perguntar com calma: “o que aconteceu aqui?”. Todas as crianças necessitam que seus pais estabeleçam regras de conduta para o comportamento aceitável. Quanto mais mestres em aplicarmos os limites, maior será a cooperação que receberemos dos nossos filhos e menor será a necessidade de aplicar as disciplinas desagradáveis para que se cumpram. O resultado é uma atmosfera caseira mais agradável para os pais e filhos.




(Autor: Charles E. Schaefer, Ph.D., é um professor de psicologia e diretor do Centro de Servicios Psicológicos na Universidad de Fairleigh Dickinson. É autor de mais de 40 livros, incluindo "Teach your child to behave disciplining with love from 2 to 8 years". – “Ensine sua criança a se comportar, disciplinando-a com amor dos 2 aos 8 anos”)




Fonte: http://br.guiainfantil.com/







Gostaria de dar os parabéns para minha irmã Elis e meu cunhado André, que confirmaram hoje a chegada de mais uma princesinha na família, que por sinal será minha afilhadinha...a Laura ( Laurinha como eu já a chamo).


Parabéns pelo Bebê


Posso imaginar a alegria que você está sentindo neste momento único de sua vida.

Sabendo que esta nova vida que logo vai chegar lhe fará feliz e realizada.

Você é abençoada,

pois você é a esperança de um novo ser ter a chance de estar entre nós para que realize sua missão na terra.

Um espirito que contará com a sua orientação e o seu amor,

ajudando-o em seu caminho.

Mas saiba que isso é uma tarefa maravilhosa e enriquecedora.

Parabéns e seja muito feliz...



Seja muito bem vinda Laurinha saiba que concerteza você será muito amada, por seus pais e seus irmãos lindões o Thales e o Rafael, e por toda a nossa família... desde já a tia Vê te ama muito.





Com o aumento do número casos de "gripe suína" no Brasil nos últimos dias, subiu também a procura por atendimento nos hospitais do País. Mesmo após a análise do médico, nem todos os pacientes saem da consulta sabendo se foram ou não infectados pela doença. "O vírus pode infectar as pessoas sem motivar sintomas graves", informa o médico infectologista Vicente Amato Neto.

No dia 26 de junho, o governo brasileiro anunciou mudanças de enfoque no combate à "gripe suína", restringindo os exames de diagnóstico apenas aos casos mais graves.
Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a medida, “que atende a uma recomendação da OMS", foi "mal entendida". "O tratamento independe do diagnóstico. Ou seja, as pessoas que tiverem todos os sintomas serão tratadas, mesmo que não tenham feito o exame", disse o ministro.

Para o médico infectologista, o ideal para saber como a doença está se disseminando no País seria fazer o exame em todos os que apresentassem os sintomas, mas, segundo ele, os médicos geralmente determinam se o paciente foi contaminado já na consulta.
"O quadro clínico da doença é bem típico. Tem início súbito, febre alta, tosse, dor no corpo, dor articular, coriza. O médico experiente deve saber e perguntar se o paciente viajou ao exterior, se teve contato com alguém doente, deve saber como proceder", afirma ele.
Amato explica ainda que a população não precisa ficar em pânico por causa da "gripe suína". "A imensa maioria adoece e não morre. Aí o tratamento é dado para corrigir os sintomas". De acordo com o médico, as pessoas que devem ter mais cuidados, como recomenda o Ministério da Saúde, são os idosos, as crianças, as com deficiencia da imunidade ou doença pulmonar crônica e mulheres grávidas.


Vacina


O Brasil tem até agora 24 mortes provocadas pela "gripe suína". Nesta quarta-feira, Temporão disse em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da "TV Globo", que a vacina que está sendo testada na Austrália é para ser usada no inverno do hemisfério norte. No Brasil, segundo o ministro, a vacina só será usada no inverno de 2010.

O ministro tentou, mais uma vez, tranquilizar a população, ao afirmar que a "gripe suína" tem características "extremamente semelhantes" a da gripe comum, como sintomas, evolução clínica, letalidade e tratamento. "Um dado importante para a população saber: em julho do ano passado, morreram no Brasil, de complicações da gripe comum, 4.500 pessoas." Segundo Temporão, a "gripe suína" deve ser tratada, inicialmente, da mesma maneira que a gripe comum.



fonte: ultimosegundo.ig.com.br

video

Gostaria de agradecer a minha mais do que amiga Elis do blog ferramenta pedagógica pelo lindo cartão do dia do amigo...
Valeu Elis ....
Obrigada!




A maioria das queixas apresentadas a seguir diminui ou desaparece sem o uso de medicamentos. Os medicamentos devem ser evitados ao máximo.


Caso essas queixas não desapareçam ou sejam persistentes podem ser manifestações de doenças mais complexas.




  • Náuseas e vômitos
    São comuns no início da gestação. Quando ocorrem no final da gestação podem estar associados a doenças importantes, devendo ser sempre comunicado ao seu médico.
    As orientações para a gestante são as seguintes: fracionar a dieta (comer mais vezes e menos a cada vez), evitar frituras, gorduras e alimentos com cheiro forte ou desagradável; evitar líquidos durante as refeições e ingerí-los de preferência nos intervalos.
    Quando os sintomas forem muito freqüentes seu médico irá avaliar a necessidade do uso de medicações.



  • Pirose - azia - queimação
    É comum a partir do segundo trimestre da gestação. Geralmente melhora com dieta fracionada, diminuindo as frituras, café, chá, pimenta, chimarrão, álcool e fumo.
    Medidas gerais como não deitar após as refeições e elevar a cabeceira do leito também são benéficas.
    A critério médico, a gestante poderá fazer uso de medicamentos.



  • Sialorréia - excesso de saliva
    Muito comum no início da gestação, orienta-se deglutir a saliva e seguir mesmo tratamento indicado para náuseas e vômitos.


  • Fraquezas e desmaios
    Podem acontecer após mudanças bruscas de posição e também quando a gestante ficar sem se alimentar.
    Gestantes não devem fazer jejum prolongado.
    Geralmente deitar de lado (esquerdo preferencialmente) respirando calma e profundamente melhora a sensação de fraqueza e desmaio.


  • Hemorróidas
    São comuns principalmente nos últimos três meses de gestação, após o parto e também em gestantes que já apresentavam o problema antes da gravidez.
    As gestantes devem procurar manter o hábito intestinal regular (manter o intestino funcionando bem). Sempre que as fezes estiverem endurecidas, causando dificuldade para evacuar, as hemorróidas podem sangrar ou doer.
    Dietas ricas em fibras e a ingestão de líquidos auxiliam o funcionamento dos intestinos.

  • Corrimento vaginal
    O aumento do fluxo vaginal (leucorréia, corrimento) é comum em gestantes. O fluxo vaginal normal não causa coceira, mau cheiro, ardência ou dor nas relações.
    Consulte seu médico se apresentar os sintomas acima.
    Quando ocorre ruptura da bolsa das águas (um dos sinais de parto) a paciente pode referir aumento do corrimento vaginal. É sempre necessário avisar seu médico quando houver suspeita de ruptura da bolsa com saída de líquido amniótico.
    Queixas urinárias
    O aumento do número de micções é comum na gestação, principalmente no início e no final da gestação por aumento uterino e compressão da bexiga. Como a infecção urinária é mais comum em gestantes, sempre que houver ardência para urinar, dor, sangue na urina ou febre seu médico deve ser comunicado.

  • Falta de ar - dispnéia - dificuldade para respirar
    O aumento do útero e o aumento da freqüência respiratória da gestante podem ocasionar esses sintomas. Geralmente o repouso, deitada de lado, alivia a sensação de falta de ar. Se houverem outros sintomas associados (tosse, febre, inchaço) pode haver doença cardíaca ou respiratória associada.


  • Dor nas mamas
    As mamas aumentam de volume durante a gestação o que freqüentemente causa dor.
    A gestante deverá usar um sutiã com boa sustentação. O exame das mamas geralmente descarta problemas mamários mais graves.


  • Dor nas costas - dor lombar - dor articular
    Durante a gestação as articulações ficam com maior mobilidade e isto freqüentemente ocasiona dores nas costas e em articulações como o joelho e o tornozelo.
    As gestantes geralmente têm uma postura que provoca dores nas costas (aumento da lordose lombar - colocar a barriga para frente e o quadril para trás). O aumento excessivo de peso também aumenta a incidência de dores osteoarticulares.
    Como prevenir:
    evitar aumento excessivo de peso
    fazer exercícios regularmente
    manter uma postura adequada
    evitar uso de saltos altos e desconfortáveis


  • Dor de cabeça - cefaléia
    Dores de cabeça mais freqüentemente estão associadas a tensões, conflitos e temores, entretanto podem estar associadas a doenças mais sérias. Sempre deve ser afastada a presença de pressão alta. Seu médico avaliará a necessidade do uso de medicações.



  • Sangramento nas gengivas
    Durante a gestação é mais comum o sangramento de mucosas (nasal, gengival) pois, além de uma maior vascularização nas mucosas, seus pequenos vasos sangüíneos ficam mais frágeis. A causa mais freqüente de sangramento gengival é a inflamação crônica da gengiva.
    A gestante deve escovar os dentes com escova macia, massagear a gengiva e passar fio dental. Esse sintoma deve ser relatado a seu médico (ocasionalmente pode estar associado a outros problemas da coagulação do sangue) e ao dentista.


  • Edema na pernas - inchaço
    Principalmente no final da gestação ocorre inchaço de membros inferiores. Quando não estiver associado à perda de proteínas na urina e à pressão alta geralmente reflete o acúmulo de líquido característico da gestação.
    Existem posições que dificultam o retorno venoso (volta do sangue das pernas para o coração). Gestantes com edema não devem ficar em pé (paradas) ou sentadas durante muito tempo. É recomendável exercitar as pernas (caminhar).
    O edema diminui na posição deitada (preferencialmente sobre o lado esquerdo) e também com a elevação das pernas acima do nível do coração.
    Outra medida importante é retirar anéis dos dedos da mão, pois ocasionalmente ocorre edema nas mãos e dificuldade de retirada desses adornos.


  • Cãibras
    Podem ocorrer durante a gestação, geralmente após excesso de exercício.
    Quando ocorre, o músculo deve ser massageado, podendo-se aplicar calor no local.
    Cloasma gravídico - manchas no rosto - asa de borboleta no rosto
    Manchas escuras na pele podem ocorrer durante a gestação. Essas costumam diminuir em até 6 meses após o parto, entretanto em algumas mulheres persistem.
    São manchas semelhantes àquelas que ocorrem pelo uso de anticoncepcional oral. Gestantes que apresentam essas manchas devem evitar a exposição ao sol.


  • Estrias
    As estrias são resultado da distensão dos tecidos. Modo eficaz de preveni-las não existe. Não engordar muito é importante para diminuir sua incidência, entretanto existe predisposição individual a apresentar estrias.
    Ainda que controverso, recomenda-se massagem com substâncias oleosas nos tecidos mais propensos a estrias (abdômen, mamas e coxas).
    Seu médico poderá lhe indicar um creme para massagear a pele.
    Sobre o mamilo não devem ser aplicados cremes. As estrias são inicialmente arroxeadas e com o tempo ficam branquicentas.

Fonte: http://clinicafgo.com.br




Demorou mas graças a Deus a dorzinha chata que tanto estava me encomodando esta indo embora, nossa que sufoco mas graças a Deus já estou bem melhor.

Passei este último mês em repouso absoluto, contando com o apoio do meu maridão e da minha mãe, que estão me auxiliando graças a Deus, por que ninguém merece grávida, enorme, com dor, duas princesinhas e uma casa para cuidar francamente é complicado, não é impossível claro mas é dose de leão.

Como já estou um pouco melhor quero ver se aos poucos retomo a rotina do blog.

Minha bebê esta bem graças a Deus mexendo bastante e com os batimentos normais.

Tivemos nossa última consulta do pré-natal dia 02/07/2009 e a nossa Drª disse que ela esta bem, que eu é quem estou bem acima do peso( que novidade rs,rs) e retendo muito líquido, agora estou consultando com uma nutricionista e tentando ao menos controlar o peso de agora em diante.


Abraços a todos



Bom Dia


Devido alguns probleminhas em minha gestação, não estou em condições psicológicas de atualizar meu blog, deixo claro que com minha filhinha esta tudo bem, o problema é comigo. Assim que estiver em condições de escrever sobre o assunto ou postar algo novo retomarei a rotina do blog.


att: Verônica Máscolo